Polícia liberta 22 mulheres submetidas à escravidão do sexo, algumas eram de Porto Velho

Gerente e proprietário das casas de prostituição “Luz Vermelha” e “Fazendinha” foram presos

  A  Polícia Civil prendeu o gerente e o proprietário de uma casa de show na cidade de Campos de Júlio suspeito de manter 22 mulheres em situação de prostituição, favorecimento a prostituição, rufianismo e redução a condição análoga a escravidão. A prisão ocorreu durante a Operação “Bacanal”, deflagrada nesta segunda-feira (07) pela Delegacia de Comodoro, vizinha ao município.

O delegado Henrique Trevizan, que comandou a operação, informou que as mulheres cujas idades vão de 18 a 34 anos eram mantidas como “escravas” nas casas, já que não podiam sair devido a dívidas contratuais com os donos dos estabelecimentos. “As casas mantinham um sistema de multas que ia só aumentando e acumulando”, disse o delegado.

A maioria das mulheres é oriunda das cidades de Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO). “Algumas estavam ali há mais de 1 ano”, acrescentou o delegado.

As casas de prostituição, “Luz Vermelha” e “Fazendinha”, conhecidas na cidade de Campos de Julio, estão localizadas numa chácara próximas uma da outra. Os locais eram também alvos de denúncias de exploração sexual de menores de idade. No entanto, durante a operação, a Polícia Civil não encontrou adolescentes nos estabelecimentos.

Conforme o delegado, na primeira boate, os policiais encontraram 17 mulheres e na segunda, cinco. Todas foram retiradas dos estabelecimentos, levadas para a Delegacia e ouvidas no procedimento policial. “As boates foram fechadas, mas não temos como obrigar essas mulheres a não retornar às casas”, destacou o delegado. O delegado acrescentou que outros três estabelecimentos foram abordadas e presas duas pessoas por porte ilegal de arma de fogo.

Fonte: Mídia News

Comente

   
     
 
© 2013 - Desenvolvido por Webmundo Soluções Web - Todos Direitos Reservados Conexao190. Jaru/RO Levando mais Informação.