OPERAÇÃO DETALHE – Ministério Público e Polícia Civil realizam operação em Cacoal e prendem políticos

O CAEX/GAECO do Ministério Público de Rondônia em conjunto com a Polícia Civil deflagrou nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (7), uma operação que resultou na prisão de políticos, dentre eles vereadores suspeitos de terem envolvimentos com desvio de recursos publicos.

Durante a ação, foram cumpridos nove mandatos de prisões e buscas e apreensões em residências e órgãos públicos. Até o momento foram presos Cesar Condack (PSDC), Pedro Ferrazim (PP), o qual é ex-presidente da Câmara e Toninho da Emater (PTN), sendo este recém empossado.

O presidente da Camara de Vereadores Paty Paulista ( PTB) também está entre os presos na operação.

A ‘toda poderosa’ de Cacoal,  chefe da gabinete do prefeito padre Franco, Maria Ivanir, também conhecida pela alcunha de ‘IVONE’ foi presa pelo Gaeco. Sua casa foi alvo de busca e apreensão de documentos e computadores.

Em conversas telefônicas com vereadores, grampeadas com autorização da Justiça, Maria Ivanir dizia para os vereadores que o povo era apenas um “DETALHE”. Daí o nome da operação realizada nesta sexta-feira (8). O segurança de “Ivone”, um policial civil também foi preso.

Neste momento, agentes do MP estão dentro do gabinete do padre Franco Vialetto recolhendo documentos e computadores do padre petista. Uma coletiva com a Imprensa está marcada para ás 14hs em Cacoal.

 

Identificado como “Palácio” o policial civil e segurança da chefe de gabinete da Prefeitura de Cacoal- RO, que foi preso na manhã desta sexta-feira (8), durante uma operação denominada “Detalhe”, que foi deflagrada pelo GAECO (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime),órgão auxiliar do Mistério Publico de Rondônia e Polícia Civil.

 

“Palácio” foi preso em sua residência nas primeiras horas do dia em cumprimento de mandado de prisão, suspeito de ter ligação com fraudes que ocorriam no poder publico municipal. Para a operação foram cumpridos 9 mandados de prisões e 27 de busca e apreensão.

 

 

DETALHE


 

De acordo com informações apuradas junto ao delegado responsável pela operação, o nome da operação foi dado em virtude de Maria Ivani de Araújo, conhecida também por “Ivone”, dizer durante ligações telefônicas gravadas pela Justiça, que o povo era apenas um “detalhe”. Ivone é apontada pela população como a “mandona” do município e teria tando poder quando o prefeito, padre Franco.

 

 

Matéria:Rondoniaovivo

Comente

   
     
 
© 2013 - Desenvolvido por Webmundo Soluções Web - Todos Direitos Reservados Conexao190. Jaru/RO Levando mais Informação.