Jaruense do bando do roubo do Sicoob matou a tiros um jovem em Ouro Preto do Oeste, no mês de junho

Um dos membros da quadrilha que praticou o sequestro do gerente do Posto Avançado do Sicoob Ourocredi no município de Vale do Paraíso identificado como Arnaldo Gomes Barbosa, de 24 anos, é o autor dos disparos que matou em Ouro Preto do Oeste o jovem Paulo Pereira, que tinha 22 anos, em crime de homicídio ocorrido na madrugada do dia 18 de junho no Bar 360 Graus, que fica na avenida Jorge Teixeira do Jardim Novo Estado.

A Polícia Civil tinha um Mandado de Prisão em aberto contra Arnaldo por prática de extorsão. No entanto, em relação ao homicídio praticado contra o jovem que morava no Jardim Novo Horizonte, à rua Núbio de Souza, a autoria do crime ainda era desconhecida, e após a prisão de hoje Arnaldo confessou em detalhes e alegou ter cometido o assassinato em legítima defesa.

De acordo com o boletim de ocorrência policial registrado pela Polícia Militar na Delegacia Civil, na manhã do assassinato, com base em depoimento de testemunhas, Arnaldo estaria sentado na companhia de uma mulher e de outro casal, e se envolvido numa discussão com Paulo por que teria negado ao jovem um cigarro. Consta no B.O. que ambos teriam trocado ofensas, o jovem saiu e logo voltou ao bar e, em dado momento, partiu em direção à mesa dos casais armado com uma faca. Arnaldo se esquivou e correu, mas do outro lado da rua sacou da cintura um revólver calibre 22 e disparou duas vezes contra Paulo, e um dos dois disparos que ele efetuou transfixou o coração da vítima, que morreu antes de receber os primeiros socorros no hospital municipal.

Arnaldo também atirou duas vezes em direção a Eduardo, um colega que estava com a vítima, mas não conseguiu atingir o rapaz. Arnaldo conversou rapidamente com a reportagem do site Correio Central e afirmou que matou o jovem em legitima defesa, e argumentou que naquela noite veio para Ouro Preto do Oeste acompanhado de sua mulher, uma servidora pública municipal em Jaru, e ambos festejavam a gestação de um bebê. “Eu estava sentado com minha mulher e ele veio, do jeito que quis, e pegou cinco cigarros de uma vez e ainda me falou que eu estava dando uma de ‘boyzinho’. Eu corri dele, mas não teve jeito”, disse Arnaldo, que hoje foi preso e, segundo adiantou o delegado Julio Cesar Souza Ferreira, deverá responder por extorsão mediante sequestro qualificada e organização criminosa, por enquanto.

Conforme depoimentos de amigos da vítima do assassinato relatados em ocorrência policial, a negativa em dar o cigarro a Paulo gerou uma discussão e, segundo um amigo o jovem morto teria dito que Arnaldo tinha “embaçado” com ele e o teria ameaçado, por isso iria se armar com uma faca para se defender. Paulo então se dirigiu até a casa de Eduardo para buscar um pacote de fumo extra-forte, mas segundo o declarante, ele foi ao banheiro da residência e também pegou uma faca, alegando que era para se defender, e a escondeu nas imediações, próximo do bar onde bebia mais os amigos, e quando se dirigiu ao bar foi surpreendido porque seu desafeto portava um revólver na cintura. A ocorrência policial desse homicídio foi registrada na corporação pela guarnição (CPL 60079) da Polícia Militar, composta dos soldados PM Rosana, Maciel e Messias.

Fonte: Correiocentral

 

Comente

   
     
 
© 2013 - Desenvolvido por Webmundo Soluções Web - Todos Direitos Reservados Conexao190. Jaru/RO Levando mais Informação.