Governador promete ação contra invasores de terras, mas criminosos invadem fazenda e provocam terror e destruição

3b416c2d7211c78683671aba9e0ca9d4_500x281Durante o lançamento do Programa Projovem Trabalhador em Monte Negro, na sexta-feira passada (08), o governador Confúcio Moura criticou o aumento de grilagem de terras na região do Vale do Jamari e disse que iria combater esse crime. “Estou sabendo que na região está ocorrendo muita grilagem de terras e se estiver algum sem-terra aqui, leva um recado meu: não vou permitir este tipo de crime. Vamos colocar a polícia para agir e acabar com essa bandidagem que está trazendo insegurança para o campo”, disse ele.

Mas não houve tempo de tomar atitudes mais concretas. Na madrugada de sexta para sábado (09), um grupo de pessoas armadas e com os rostos cobertos invadiram de maneira violenta a fazenda Padre Cícero, próxima ao município de Monte Negro. Segundo relatos de uma das sete vítimas, que foram expulsas do local, todos os integrantes do grupo agiram de maneira truculenta. “Eles chegaram atirando, inclusive uma colega nossa foi atingida. Nos pegaram à força e não deu tempo de carregar nada. Saímos da fazenda somente com a roupa do corpo. Daí, eles queimaram tudo, dizendo que iriam ficar lá”, disse um homem que não quis se identificar com medo. (Veja fotos aqui)


De acordo com a ocorrência policial registrada na delegacia central de Ariquemes, pelo menos quatro casas foram queimadas, marcas de tiros foram encontradas em algumas tábuas, além da destruição de dezenas de sacos de sementes que foram rasgados com uma motosserra. Em seguida, a Polícia Militar junto com o Grupamento de Operações Especiais (GOE) teria ido a um acampamento próximo à fazenda Padre Cícero que já estava abandonado.


Uma das vítimas relatou aos policiais que se o grupo retornasse à fazenda, todos seriam mortos. “O grupo disse que se nós voltássemos pro local, todos morreriam, inclusive mulheres e crianças. Tinha pelo menos uns 15 homens armados com espingardas e revólveres. Nós ficamos sem nada, já que queimaram as casas com tudo dentro. Não sabemos o que fazer”, afirmou a mulher que pediu para não ter o nome revelado. 

No final da semana passada, o Rondônia Vip denunciou a violência na região do Vale do Jamari e os crimes que estariam sendo cometidos por integrantes da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) com a participação de foragidos da Justiça. Mas, até o momento, ninguém foi preso, e por enquanto, o governo do Estado não anunciou que medidas serão tomadas para aumentar o policiamento na região e se vai colocar mais equipes em busca dos criminosos que comandaram esta última ação no Vale do Jamari. O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) ainda não se posicionaram em relação aos crimes cometidos pelos supostos sem-terra.

Fonte: RONDONIAVIP

Comente

   
     
 
© 2013 - Desenvolvido por Webmundo Soluções Web - Todos Direitos Reservados Conexao190. Jaru/RO Levando mais Informação.